Fale Conosco+55 (49) 99804-4550
Postado em 06 de Setembro às 15h48

PAPO DE PROFISSA: Um flash da história de um pódio olímpico

Corrida (31)

Um flash da história de um pódio olímpico!

Olá corredores!

Era noite de 6 de agosto quando assisti pela TV (de queixo caído) uma americana chamada Seidel no pelotão da frente, desde o início da maratona até cruzar a linha de chegada em terceiro lugar, a menos de 30 segundos atrás das quenianas Jepchirchir (na ocasião 12ª do ranking mundial) e Kosgei, atual recordista mundial.

Já havia achado fenomenal o fato da atleta ter conquistado uma vaga olímpica na seleção americana ao correr sua primeira maratona em fevereiro de 2020, em Atlanta na Geórgia. Naquela noite minha curiosidade aumentara exponencialmente. Nenhuma maratonista dos Estados Unidos havia conquistado medalha olímpica desde o bronze de Deena Kastor em Atenas, em 2004. Como Seidel, correndo a maratona pela terceira vez na sua carreira, escalou da 199ª posição do ranking mundial para o pódio Olímpico?


Molly Seidel iniciou sua carreira correndo cross country no ensino médio. No seu último ano na high school ela foi campeã nacional. Durante sua complicada carreira universitária teve vários problemas de saúde, lesões e fraturas por estresse repetitivo. Mesmo assim, conquistou 4 títulos nacionais e esperava-se sua participação na seletiva olímpica dos Estados Unidos de 2016, como forte candidata a uma vaga nos 5.000 m ou nos 10.000 m. No entanto, ela não participou das provas e dias depois internou-se numa clínica para iniciar um tratamento para distúrbio alimentar, o qual, ao que tudo indica, teve forte influência na debilidade óssea da atleta, e consequentemente nas diversas fraturas que a afastaram do esporte.

Em 2018 Molly retornou aos campeonatos. Em 2019 garantiu uma vaga para correr a maratona na seletiva dos Estados Unidos para as Olimpíadas de 2020. Terminou em segundo lugar, alcançando o índice olímpico e assegurando sua vaga. Esta trajetória cheia de desafios e surpresas é inspiradora por si só. Contudo, a narrativa da atleta sobre seu percurso é de grande valor para todos que praticam a corrida, seja de maneira amadora ou profissional.

 

Numa entrevista com Julia Hanlon no podcast Running on Om, Molly fala sobre sua saúde mental e como o transtorno obsessivo-compulsivo, a depressão e o distúrbio alimentar afetaram sua carreira como corredora. Ela compartilha que o sucesso em si não a fazia feliz. Para ela: “Se a pessoa não está mentalmente bem, o sucesso é vazio. Se ela não estiver saudável, ele não tem sentido... Primeiro é preciso ser saudável, para depois ser um corredor saudável.”

É difícil quantificar o quanto a escolha da estratégia de treinamento foi influenciada pelo percurso cheio de obstáculos pessoais que a atleta enfrentou. Mas é fácil perceber a sabedoria nas suas decisões.

Durante sua preparação para a seletiva, para proteger sua saúde mental, a atleta decidiu fazer parte do treinamento na sua cidade natal, longe de atletas que participariam da mesma prova. Ver os treinos de atletas qualificadas para a seletiva, que estavam treinando mais forte do que ela lhe causava ansiedade e diminuía sua autoconfiança. Ao invés de desperdiçar espaço mental se comparando, ela decidiu manter o foco no que ela tinha controle - seu treino.

Além disso, para lidar com o estresse e com outros aspectos da saúde mental, Molly utilizou algumas técnicas. Primeiro, ela optou por acompanhamento psicológico - o que afirma ser o mais importante para si: psicoterapia consistente e direcionada. Também fizeram parte de sua rotina técnicas de meditação, entre elas, mindfulness (atenção plena).
A história de Molly Seidel é um exemplo de como o esporte representa a essência humana tão bem: é cheio de dificuldades, surpresas e superações. Para nós corredores, suas lições são valiosas:

Saúde em primeiro lugar!

  • Treinos mais intensos não garantem os melhores resultados;
  • No dia da prova não importa para a sua performance o que os outros fizeram, mas sim o que você fez;
  • Você leva para o dia da prova quem você é. Seja e esteja saudável.


Happy running!


Referências

https://runningonom.com Episodio 225.
https://www.teamusa.org/News Molly Seidel: “Despite my success as a runner, I struggle too.” May 19, 2021

  • Vidas Corridas -

Silvana Meira

  • Graduada em Ed. física e em psicologia
  • Pós graduada em treinamento desportivo
  • Treinadora de corrida personal trainer, CREF: 026100-G/SC
  • Corredora amadora

Comentários!

Comentários

Seja o primeiro a comentar! : )

Veja também

PAPO DE PROFISSA: Mobilidade Articular 25/05/20Conheça sua importância para a Corrida! Você escutou alguém falar sobre mobilidade articular? Você conhece algum atleta de corrida que dedica 30 minutos do seu dia com treinos de mobilidade articular? Se a sua resposta para alguma dessas perguntas foi NÃO, sugiro que você leia atentamente esse Papo de Profissa.  Mobilidade articular envolve exercícios dinâmicos ou até mesmo estáticos (por......
Projeto: Plante uma Vida21/09/20Vamos correr juntos pelo nosso planeta? Hoje, 21 de setembro, é comemorado em todo o Brasil o Dia da Árvore. Nós sabemos da importância que as árvores têm em nossas vidas. Elas são indispensáveis na natureza e auxiliam na......

Voltar para Blog

  • Vidas Corridas -