Fale Conosco+55 (49) 99804-4550
Postado em 02 de Março às 07h00

PAPO DE PROFISSA: OVERTRAINING: COMO EVITAR?

  • Vidas Corridas -

Overtraining

Sabia que dentre as inúmeras vantagens da prática regular de atividade física, uma das mais valiosas é que os exercícios físicos funcionam como um dos melhores remédios que existem?

Isso mesmo, exercício físico é remédio! As mudanças e adaptações fisiológicas que acontecem no nosso corpo são inúmeras. Desde ganhos claros de performance a redução significativa de morbidade e mortalidade, de doenças como hipertensão arterial, diabetes mellitus e doenças do coração. Mas assim como qualquer remédio, os exercícios têm que ser prescritos baseado no indivíduo e na dose-resposta.

A “superdosagem” de exercícios, e o desrespeito aos períodos de recuperação podem prejudicar as adaptações do organismo e causar um efeito reverso. Isso é chamado de “síndrome do excesso de treinamento” ou “overtraining”.

Sintomas podem variar muito:

 

  • Perda de condicionamento físico com perda de força e resistência;
  • Dor muscular persistente;
  • Sensação de fadiga crônica;
  • Elevação significativa da frequência cardíaca em repouso (este é um sinal bem típico);
  • Mudança de humor com quadro de depressão e irritabilidade;
  • Queda da resistência imunológica;
  • Perda da qualidade do sono.


Mas o diagnóstico não é tão simples assim, nem todo cansaço ou dor muscular já pode ser considerado overtraining, mas sim a sucessão e a piora progressiva dos sintomas.

Dentre as causas e agravantes existem muitas. Das quais, podemos também levar em consideração distúrbios hormonais, déficits alimentares e tempo insuficiente para recuperação dos treinos.

Esta é uma das poucas situações onde o tratamento exige uma diminuição drástica e até interrupção do treino por um certo tempo, bem como, corrigir os distúrbios metabólicos e alimentares relacionados.

O overtraining apesar de algo indesejável e até assustador na vida do atleta, é tratável e evitável com acesso multidisciplinar. Por isso sempre recomendo além de avaliações médicas seriadas, um bom suporte com fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo(a) e claro, avaliação e ajustes bastante criteriosos da carga de treino pelo(a) profissional de educação física.

 

  • Vidas Corridas -

Daniel Carvalho

  • Médico Ortopedista e Traumatologista com pós graduação em medicina do exercício e do esporte.
  • Triatleta amador.
  • Coordenador da residência médica de Ortop do regional.
  • Professor da graduação de medicina da Unisul.
  • Sócio proprietário do Centro Winner.

Comentários!

Comentários

Seja o primeiro a comentar! : )

Veja também

Nutrição Esportiva x Antioxidantes18/01/19 De que forma a oxidação age no organismo? Durante o exercício, a respiração celular gera radicais livres. Isso origina as espécies reativas de oxigênio (EROs), moléculas liberadas pelo metabolismo oxidativo. Se há desequilíbrio entre a sua formação e a capacidade do organismo de neutralizá-las com antioxidantes, ocorre o......
PAPO DE PROFISSA: Como prevenir quadros de hipertermia correndo em dias quentes!19/10/20CUIDADOS COM EXERCÍCIOS EM TEMPERATURAS ELEVADAS Estamos começando a temporada de temperaturas mais elevadas e, portanto, necessitamos ter mais cuidados com os riscos associados da prática de exercícios nessas condições. Para que você entenda o comportamento do......

Voltar para Blog

  • Vidas Corridas -